terça-feira, 17 de abril de 2012

Nomenclatura de Ramos II.

aprendemos a nomenclatura de ramos convencionais e veremos agora a nomenclatura de ramos "não normais", ou seja, aqueles que apresentam carbonos terciários ou quaternários em suas estruturas.

Já conhecemos o ramo propil:


E o que dizer de um ramo igualmente de três carbonos como este:


Tal ramo é chamado de isopropil e o "i" do "iso" conta para a ordem alfabética no momento de compor o nome do composto orgânico. Qualquer ramificação com algo semelhante em sua extremidade será nomeado com o termo "iso" precedendo o que determina a quantidade de carbonos.


Outras derivações causadas por maior quantidade de carbonos são comuns de se encontrar para o ramo butil:


Observe que os carbonos dos ramos que se ligam à cadeia principal são secundário e terciário, respectivamente, em relação ao restante do ramo. Por isso esses nomes.

Com cinco, além do isopentil acima mencionado, é comum encontrarmos o neopentil:


Em caso de o ramo ser insaturado, acrescenta-se "en" (dupla) ou "in" (tripla) entre o termo que indica a quantidade de carbonos e a terminação "il", veja:


Observe que o carbono de número 1 é o carbono ligado à cadeia principal.

Encerrando esta etapa, encontramos os ramos aromáticos e seus derivados:


Lembre-se que, nestes exemplos, as extremidade "livre" não é um carbono, mas a parte da cadeia principal na qual o ramo se conecta.

A seguir teremos um resumo com as regras de nomenclatura.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Devido a brincadeiras de mal gosto e comentários trolls, os comentários serão moderados a partir de agora. Agradeço a compreensão.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...