sexta-feira, 22 de junho de 2012

Para-raios e suas pontas...

Quem já observou um para-raios teve a oportunidade de notar sua forma. Os metálicos:


E os poliméricos:



Não entrarei nos detalhes das diferenças entre as duas categorias. Pretendo chamar a atenção para duas questões: por que eles são pontudos e atraem raios?

Para esclarecer esses dois aspectos inerentes à natureza de um para-raio. Observemos as seguintes características da matéria que se encontra distribuída por todo o universo, incluindo aí a terra:

¬ os átomos, unidades constituintes da matéria, são formados de elétrons (negativos), prótons (positivos) e nêutrons (neutros).

¬ choques entre átomos levam à perda ou ganho de elétrons de acordo com sua propriedades, macroscopicamente, chamamos estes fenômenos de eletrização.


Uma pessoa, ao escovar/pentear o cabelo, troca cargas elétricas entre escova/pente e o cabelo. Tornando-os eletrizados. Existe até quem não possa fazer isso sob risco de vida.

¬ As cargas elétricas transferidas de um corpo para outro tendem a se distribuir pela superfície do corpo no qual se encontram. Superfícies planas ou esféricas tendem a acumular por cargas. Superfícies pontiagudas tendem a acumular maior quantidade de cargas. Levando a "bizarrices" como esta:


Muito bem, de posse dessas informações. Podemos analisar como se encontram, por exemplo, nuvens, ar e para-raio em condições de chuva.


Cargas de sinais opostos acumulados em lugares distantes separados por ar muito úmido. Temos a receita perfeita para isto:


Mas é bom lembrar que nem sempre o raio cai onde deve.

Um vídeo para ilustrar como uma árvore serve como bom para-raio.


Ou em câmera lenta.


Mais detalhes são encontrados no estudo de processos de eletrização e grandezas físicas a eles associados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Devido a brincadeiras de mal gosto e comentários trolls, os comentários serão moderados a partir de agora. Agradeço a compreensão.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...