sexta-feira, 6 de abril de 2012

Aborto III


Neste post apresentarei uma resposta a um comentário à postagem original. Seguem abaixo as palavras do leitor (a):

"Mesmo que seja "Um punhado de células" não deixa de ser uma vida. Penso, será que seu pensamento seria o mesmo quando ainda era "um punhado de células?". Não cabe a nós Decidir a vida de um ser humano que ainda não teve a oportunidade de escolha, não seria o aborto uma forma de assassinato, tão grave quanto?! Será que a criança que está a ser gerada no ventre tem culpa por estar ali? Ela não deve ser penalizada pela promiscuidade de uns. “Já dizia D. Eugênio Sales: As Pessoas que são a favor do aborto já nasceram”. Filho é uma benção que Deus dá, não ache que será um fardo tê-lo, pois Deus só lhe dá a cruz que você pode carregar.

Deixa viver o que um dia você foi!!

Atenciosamente,"

Após ler esse texto, três letras me vieram à mente:

Vamos ao que interessa. Coerência não é bem o forte desse povo, então falemos disso. No começo da argumentação, um trecho do meu texto é citado seguido de:

"não deixa de ser uma vida"

Aí sou obrigado a preguntar, de qual vida você fala? Vida em geral ou de um ser humano? Assumirei que seja a segunda opção. Ideia esta corroborada pela segunda pergunta:

"Penso, será que seu pensamento seria o mesmo quando ainda era 'um punhado de células'?"

Sendo bem objetivo na resposta, quando eu era um punhado de células no útero da minha mãe eu não era capaz de pensar, de expressar opinião própria e muito menos de ter gostos ou preferência, justamente por não passar de um PUNHADO de CÉLULAS.

Aí chega na parte que achei a melhor entre muitas pérolas ditas pela internet em geral:

"Não cabe a nós Decidir a vida de um ser humano que ainda não teve a oportunidade de escolha."

Ah é? Não cabe a nós? Então cabe a quem? Bom, no final do texto a pessoa deixa claro. Mas fica clara a ideia fundamentalista e religiosa de que somos incapazes de tal decisão.

"não seria o aborto uma forma de assassinato, tão grave quanto?!" Me diga você então, você chama de assassinato matar a barata da cozinha da sua casa? Ou sacrificar um cachorro de rua doente? Ou tomar antibióticos para acabar com uma doença causada por bactérias. Já deixei isso claro antes, mas não custa repetir, devemo tratar o feto em sua primeiras semanas por aquilo que ele é e não pelo que virá a ser. São completamente diferentes.

Na sequência vem a pérola mais preocupante, digna de pessoas que pouco refletem sobre o que falam ou preconceituosas mesmo: 

"Será que a criança que está a ser gerada no ventre tem culpa por estar ali? Ela não deve ser penalizada pela promiscuidade de uns."

Essa frase claramente coloca que mulheres promíscuas, aquelas que fazem sexo com vários parceiros, são as que praticam aborto, quando gestantes, é óbvio. Uma frase muito infeliz. Promiscuidade, falha de métodos contraceptivos, desregulação do período fértil, estupro e alguns outros não citados fazem parte da lista de gravidezes indesejadas.

Sobre a culpa. Novamente a ideia teísta de que o aborto seja uma punição a um ser humano que não fez por merecê-la. Não é e nunca foi isso, mas as igrejas em geral, não estão preocupadas com a verdade, mas sim com o controle.

Vamos à última parte:

"Já dizia D. Eugênio Sales: As Pessoas que são a favor do aborto já nasceram”. Filho é uma benção que Deus dá, não ache que será um fardo tê-lo, pois Deus só lhe dá a cruz que você pode carregar."

Citações vagas e profundamente desprovidas de sentido. As pessoas a favor do aborto já nasceram e as que são contra também. Porque é necessário ser um humano adulto e dotado de suas faculdades mentais plenas para se ter uma opinião a respeito.

Filho é o resultado da fecundação após uma relação sexual, nada mais que isso. Divindades não são bem vindas a esse debate por serem invocadas quando as pessoas estão dispostas a falar qualquer besteira para sustentar uma ideia sem argumentos.

Mas, assumindo a possibilidade de o deus cristão talvez existir e ele dar a cruz que a pessoa pode carregar. Isso quer dizer que ele (deus) é responsável por colocar um estuprador no caminho de uma mulher e engravidá-la após o ato contra sua vontade?

Se a resposta for sim, então isso não é deus, sinceramente, isso é um troll.








Outras postagens:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Devido a brincadeiras de mal gosto e comentários trolls, os comentários serão moderados a partir de agora. Agradeço a compreensão.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...