sábado, 28 de abril de 2012

Viagem a Brasília...

Resolvi visitar a capital do país...


Mas não quero saber de visitar o congresso... estou aqui para farra... aquele abraço...

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Modelos Atômicos: Orbital.

O sucesso e também o fracasso de um modelo atômico está em sua potencialidade de explicar fenômenos da natureza e esclarecer características microscópicas da matéria a partir de observações da propriedades macroscópicas.

Dalton explicou a proporção com que as substâncias reagem, Thomson acrescentou os elétrons para explicar a condução de eletricidade em soluções salinas aquosas. Rutherford, por sua vez, detectou a distinção entre núcleo e eletrosfera, assim como a imensidão de espaços vazios.

Mas coube a Bohr explicar como se distribuem os elétrons pela eletrosfera, relacionando a estrutura desta com resultados dos experimentos de chama e análises do espectro do Hidrogênio. Mas o próprio avanço tecnológico mostrou ainda a imperfeição no modelo de Bohr.

quarta-feira, 25 de abril de 2012

Movimento Circular

Na física, o estudo dos movimentos se faz dividindo-os de acordo com a trajetória envolvida. Neste espaço será apresentado o movimento circular e suas grandezas associadas. Futuramente veremos suas particularidades.


Define-se por circunferência o conjunto de pontos equidistantes de um ponto em comum, denominado centro. A distância de cada um dos pontos ao centro é chamada de raio e a maior distância entre dois pontos de uma circunferência é o diâmetro, o dobro do raio.

Com a definição acima, iniciamos o trabalho com o movimento circular. O movimento no qual a trajetória (conjunto de pontos pelos quais o corpo passa) descrita é um círculo.

Ao assistir um filme com pessoas perdidas, sem noção de direção ou desorientadas geograficamente nos deparamos com a expressão "andando em círculos".


Tal expressão se faz presente para nos passar a impressão de que as pessoas, como na imagem acima, se movimentam e voltam ao mesmo lugar de partida ou, no mínimo, não conquistam avanço significativo.

terça-feira, 24 de abril de 2012

Música de Hoje.

Não sou crítico musical, muito menos um conhecedor desta arte que tanto tem em comum com a física e a matemática. Mas isto não me impede de ser exigente e escutar muito pouco das música compostas recentemente.

Mesmo assim, batalho e garimpo sempre que possível um novo som. Muitas vezes encontrando coisas horríveis e/ou bandas de uma música só. Não sei se é o caso da banda de hoje, veremos.

Vos apresento El Efecto com "O Encontro de Lampião com Eike Batista". Uma história, no mínimo, curiosa para se letrar uma música, inusitada, bem bolada e desenvolvida. A parte instrumental me lembra de longe uma tentativa de rock progressivo e elementos do psicodelismo, ambientados a elementos característicos do nordeste.


Uma sugestão para quem não deseja se afogar no mar da mediocridade musical "popular" brasileira.


Sem assunto.

Tem aqueles (todos) dias nos quais eu chego em casa e penso, preciso postar algo hoje, mas qual o assunto?

Química, distribuição eletrônica, termoquímica, propriedades coligativas, funções oxigenadas, física, calorimetria, movimentos retilíneos e movimentos circulares... e a lista segue.

Mas hoje não estou afim de falar de assunto escolar. Hoje eu quero falar mal da vida, dos programas de merda da televisão aberta, das modinhas das redes sociais, de motoristas imprudentes ou do meu Flamengo que perdeu a segunda partida no ano para o Vasco.


E o pior é que as letras não parecem encaixar na cabeça para darem formas às ideias que tive em um momento ou outro... como se houvesse uma clara falha de comunicação.




Veremos o que surge no decorrer da semana...

domingo, 22 de abril de 2012

Calendário

Desde novo já conhecia a matemática atrelada aos anos bissextos, mas desconhecia profundamente algo que muito me intrigava, o fato de fevereiro ter menos dias que os demais meses do ano.

Ao todo temos sete (janeiro, março, maio, julho, agosto, outubro e dezembro) meses com 31 dias, outros quatro (abril, junho, setembro e novembro) com 30 dias e fevereiro de "forever alone" do calendário atual.


sexta-feira, 20 de abril de 2012

Outra da Homeopatia.

A meses atrás me tornei assinante da revista Scientific American Brasil, cuja linha editorial é a divulgação científica. Seja de ciência feita dentro do país ou fora dele...


Na edição de março, ao folhear meu exemplar, deparo-me com uma nota de página pertencente à área de saúde intitulada "A Eficiência Questionada da Homeopatia". Pensei comigo mesmo, alguém tentando mostrar que a homeopatia funciona.

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Poliedros de Arquimedes III: Truncaturas extremas.

Considere o cubo truncado:


Imagine o processo de truncatura que o originou a partir do cubo, e que consiste das áreas hachuradas, aumentando a ponto de os vértices destas áreas se tocarem, temos um novo poliedro, o cubo-octaedro:


Com seis faces quadradas e oito triangulares, herdadas respectivamente do cubo e do octaedro.

Sua estrutura em canudos é a seguinte:


Se você observar no seguinte link verá que o cubo-octaedro também a partir do processo de truncatura do octaedro.

Outro derivado é o icosidodecaedro, derivado obviamente, de truncaturas independentes do icosaedro e do dodecaedro.


Observe a relação entre esses dois poliedros e seus semelhantes.


Note que as faces e arestas são as somas, mas os vértices não, justamente para obedecer a relação:


Na qual F, V e A representam as quantidades de faces, vértices e arestas, respectivamente.

A seguir, outros processos de obtenção de poliedros, faltam seis ainda...


quarta-feira, 18 de abril de 2012

Resumo de Regras de Nomenclatura de Hidrocarbonetos.


Com isso, fique atento ao conjunto de regras necessário à nomenclatura:



1) Determine a cadeia principal e dê nome a ela. 


A cadeia principal é aquela que contém a maior quantidade de insaturações, depois ramos e, por fim, carbonos.

2) Reconheça, caso existam, insaturações e ramificações presentes, após isso, seus respectivos nomes. 

3) Numere a cadeia principal de modo que se obtenha os menores algarismos possíveis para indicar as posições dos grupos substituintes (ramos) e insaturações, prioridade para estas últimas.

4) Para cadeias que contenham ramos ou insaturações repetidos, os nomes dos serão precedidos de prefixos que indiquem suas quantidades: di, tri, tetra, penta, hexa, etc. 

5) Para cadeias que contenham grupos diferentes, os grupos devem ser escritos em ordem alfabética.

6) Prioridade para a insaturação mais próxima da extremidade, em caso de empate, a prioridade é da dupla ligação.


terça-feira, 17 de abril de 2012

Nomenclatura de Ramos II.

aprendemos a nomenclatura de ramos convencionais e veremos agora a nomenclatura de ramos "não normais", ou seja, aqueles que apresentam carbonos terciários ou quaternários em suas estruturas.

Já conhecemos o ramo propil:


E o que dizer de um ramo igualmente de três carbonos como este:


Tal ramo é chamado de isopropil e o "i" do "iso" conta para a ordem alfabética no momento de compor o nome do composto orgânico. Qualquer ramificação com algo semelhante em sua extremidade será nomeado com o termo "iso" precedendo o que determina a quantidade de carbonos.

segunda-feira, 16 de abril de 2012

Viçosa, a "cidade do rock"...

Lembro de quando cheguei em Viçosa, calouro, cabeça raspada, portanto. Em uma dessas idas e vindas entre RU e alojamento na minha primeira semana de aula, passo em frente ao "bar" do DCE e vejo/ouço uma banda cover de Camisa de Vênus.

Naquele momento eu pensei "vim pro lugar certo". Como isto foi em abril de 1999, muita água passou por baixo da ponte. O axé, funk e sertanejo "universitário" tomaram conta desta cidade. Antes disso, tive a oportunidade ver e ouvir shows de quase todas as bandas do cenário pop rock nacional num período que foi, digamos, áureo para esta cidade.

sexta-feira, 13 de abril de 2012

Notação Algébrica.

Da mesma forma que nas ciências (matemática, química e física) ou na música, o uso de símbolos para se passar adiante uma informação por escrito se faz necessário, os enxadristas também fazem uso de símbolos para publicar partidas e ensinar conteúdos específicos.

Um conjunto de símbolos que obedeça uma regra comum de modo a permitir a visualização da partida ou parte dela sem a necessidade de representá-la por imagem é o que chamamos de notação do xadrez.

Existem algumas e a mais utilizada atualmente é a Notação Algébrica. Por causa dela que as imagens de tabuleiros utilizadas neste blog apresenta algarismos ( 1 a 8) e letras (a a h) nas bordas.

Aborto de Anencéfalos Parte I.

Há tanto que se falar sobre esse tema, desde o prelúdio das reuniões que optaram pela decisão com a qual concordo até as reuniões em si e a repercussão nas redes sociais.

Mas começarei de imediato pelo que veio por último. Vejam isso:

"Que isso Brasil! Um feto anencefálico não tem vida??? O que é vida para o STF??? Em breve permitirão abortos de fetos com sindromes ou qq outra paralisia... Absurdo!!!"

ou esta imagem:

quinta-feira, 12 de abril de 2012

Diferenças no futebol...

Nem tecerei comentários sobre a eliminação precoce na atual edição da Taça Libertadores, quero falar sobre coisas que giram em torno do futebol e que me deixam puto.

Observe a imagem:


Legal né, torcedor falando sobre como é bom ser Flamengo, na tristeza ou na alegria, ganhando ou perdendo. Ótimo, concordo. Tem de ser assim mesmo, apesar de que alguns exageram e distorcem ao invés de torcer.

Até aqui tudo bem, só olha de onde veio a imagem, daqui. Não tem conta no facebook? Tudo bem, eu descrevo. É de um perfil/página intitulado "anti-vascaíno". Torcer pra um time de futebol é se preocupar com um time, não com seus adversários.

Pior é quando essa cambada de sem serviço perde tempo pregando agressão física a desconhecidos por simplesmente vestirem camisas decoradas com um cinto de segurança permanente. É algo de uma estupidez surreal, mas acontece, e todos os dias.

Vejo essa cambada aí, geração orkut/facebook, turminha de desocupados, jurando amores ao Flamengo, mas incapazes de comprar uma camisa oficial. "É muito cara...", dizem. Mas dinheiro pra torrar com cerveja, ficar bêbado e jurar que "ama o mengão " tem né? Filhos da puta! Isso sim.

Saibam que, se hoje nós passamos raiva, é culpa de quem montou esse time aí, pessoas estas que foram eleitas em um montante inferior a três mil eleitores. Pois é, o destino de 30 milhões decidido por 3 mil. Tem muita coisa errada nisso.

Torcedor de verdade, que fecha com o certo, como diz o cara do urublog, não fica com essa palhaçadinha. Compra produto oficial e incentiva os amigos a saírem fora da pirataria. Tenta se informar e, na medida do possível, participa do dia a dia do clube. Sentar no bar em dia de jogo com a camisa mais bonita do mundo e urrar qualquer bizarrice em lance de gol é muito fácil.

Mas isto só entra na cabeça desses idiotas na base de machado, só se for.

Tá puto com a eliminação? Ótimo, então fica de boa e não passa recibo de vacilão pra perdedor que na Libertadores estava.

Pronto, falei... fui

Poliedros de Arquimedes II: Truncados e Canudos.

Como informado no post anterior a este, truncar um poliedro consiste de "aparar" seus vértices, cortando-os a uma distância que seja a terça parte do comprimento da aresta, caso o objetivo seja formar um novo poliedro com faces regulares.

Muito bem, vamos então aos derivados truncados de poliedros platônicos. Durante o processo, se tiver dificuldade em acompanhar as descrições, veja aqui também. 

Tetraedro Truncado

quarta-feira, 11 de abril de 2012

Combate Insano.

Você gosta de filmes e animes de ação?

Acha Dragon Ball, Dragon Ball Z, Dragon Ball GT e Cavaleiros do Zodíaco um saco por perderem tempo demais com diálogos estúpidos e retóricos?

Gosta de pancadaria no estilo Yu Yu Hakusho?

Eis que vos apresento Combat Madness:


É uma animação feita em flash, não tem diálogos e a trilha sonora beira qualquer retardamento que não atrapalha quem não gosta dela.

A melhor parte é o fato de serem apenas 13 episódios de dois a oito minutos. Sugestão muito bem aceita e vinda de Daniel "Karnô".

Além disso há algumas menções rápidas e outras repetidas a clássicos como Matrix e Resident Evil.

Experimente aqui (link do youtube para os desconfiados).

Disponível em full HD.

terça-feira, 10 de abril de 2012

Modelos Atômicos: Bohr.

Em 1913 a Europa se armava para um conflito sem precedentes até então. Cada uma das grandes potências investia como podia em qualquer área do conhecimento visando a aplicação bélica como fruto principal.

Caso os resultados de alguma pesquisa não fossem usados na melhoria da industria armamentista, tornariam-se fatalmente propaganda de superioridade intelectual, científica e até social sobre os vizinhos.

É nesse contexto que surge um físico dinamarquês propondo um modelo para a eletrosfera do átomo. Bohr elaborou uma estrutura baseada em conceitos físicos novos e que foram a base da nova área conhecida hoje por mecânica quântica.

segunda-feira, 9 de abril de 2012

Modelos Atômicos: Rutherford.

Chegamos ao modelo responsável por estabelecer aquele que considero o maior divisor de águas entre todos os modelos conhecidos.


Rutherford, um físico neozelandês que estudou a transmutação dos elementos, um fenômeno descoberto na última década do século XIX e ainda pouco explorado e conhecido até 1911.

Modelos Atômicos: Thomson.

Começa aqui mais uma etapa de como o seu humano alterou sua compreensão do universo em seu aspecto microscópico.

Thomson é a bola da vez.


Cerca de nove décadas se passaram desde o modelo anterior, proposto por Dalton. Quem olha rapidamente para este cenário pensa que muito tempo se passou para o "pouco" acrescentado.

Mas aí é que está.

sábado, 7 de abril de 2012

De passo em passo...

Hoje, na partida que se passa neste exato momento contra o time da cruz de malta, Léo Moura completa sua partida de número 384, igualando-se a Dequinha. Apenas outros vinte heróis vestiram mais vezes a camisa do Flamengo.


Dequinha foi meio campo nos anos 50, jogou na Gávea de 1950 a 1958, fez apenas oito gols e participou do segundo tricampeonato rubro-negro.

A história continua...







Outras postagens:

Estudo das Soluções III

Uma vez que aprendemos a classificar uma solução e a trabalhar com a proporção entre soluto e solvente, resta-nos conhecer as diferentes maneiras de quantificar a composição da solução estudada. São elas:

¬ Concentração comum (c);

É a mais utilizada, principalmente em soluções cujo solvente é líquido e que não são sujeitas a grandes variações de temperatura. É calculada pela razão entre a massa de soluto e o volume da solução:


Sua unidade é o grama por litro (g/L).

Exemplo: Uma solução contendo 3,0 gramas de sal de cozinha em 100 mililitros de solução terá concentração comum de 30 g/L. Pois é necessário converter o volume de mililitro (mL) para litro (L) e então efetuar a divisão.


sexta-feira, 6 de abril de 2012

Aborto III


Neste post apresentarei uma resposta a um comentário à postagem original. Seguem abaixo as palavras do leitor (a):

"Mesmo que seja "Um punhado de células" não deixa de ser uma vida. Penso, será que seu pensamento seria o mesmo quando ainda era "um punhado de células?". Não cabe a nós Decidir a vida de um ser humano que ainda não teve a oportunidade de escolha, não seria o aborto uma forma de assassinato, tão grave quanto?! Será que a criança que está a ser gerada no ventre tem culpa por estar ali? Ela não deve ser penalizada pela promiscuidade de uns. “Já dizia D. Eugênio Sales: As Pessoas que são a favor do aborto já nasceram”. Filho é uma benção que Deus dá, não ache que será um fardo tê-lo, pois Deus só lhe dá a cruz que você pode carregar.

Deixa viver o que um dia você foi!!

Atenciosamente,"

Após ler esse texto, três letras me vieram à mente:

quarta-feira, 4 de abril de 2012

Modelos Atômicos: Dalton.

É comum o professor apresentar o setor de modelos atômicos com extrema velocidade, suas marretas são cantaroladas, alguns exercícios são resolvidos e pronto, vida que segue.


Pois é, mas não é bem assim que funcionará por aqui. O modelo atômico de Dalton, primeiro da era contemporânea da ciência entre os abordados no ensino médio, é consequência de certas transformações e eventos que o precederam.

terça-feira, 3 de abril de 2012

Um problema de xadrez.

Segue abaixo um tabuleiro de xadrez com dezesseis peões pretos formando um quadrilátero de 6x4 e um cavalo branco, posicionado inicialmente na casa B4.


Assumindo que os peões são apenas alvos e não podem movimentar-se, muito menos capturar o cavalo, quantos lances consecutivos de cavalo você gastaria para capturar todos os peões?

Se você já viu esta figura, mas não lembra de onde, procure na revista superinteressante especial de jogos Nº 1, de abril de 1994, é o problema da capa daquela edição.

Daqui a um mês publicarei a resposta.

Nomenclatura de ramos I.

Cadeias carbônicas ramificadas são aquelas que, a grosso modo, apresentam carbonos terciários ou quaternários. A regra de nomenclatura exige uma distinção, em termos de nome, entre a cadeia chamada de principal e seu ramo.

Dessa forma, ramos não apresentam terminação ANO, ENO ou INO. Estes são os sufixos de cadeia principal, ramos são sufixados por IL. Por isso, um ramos de um carbono, o CH3, é chamado de metil. Semelhança com metano não é mera coincidência.

A tabela mostrada na postagem de nomenclatura de alcanos ainda é válida. Caso tenha preguiça de clicar no link, eis a dita cuja:

segunda-feira, 2 de abril de 2012

Pink Floyd

Uma vontade antiga minha é ter um quadro com algo que seja um ícone do Pink Floyd, mas pesquisando na rede sobre imagens em alta resolução sobre a banda e capas de seus discos, a ideia que tive foi reuni-las, criando um único quadro, resultando nisso:


Para os que não conhecem, começando do canto superior esquerdo e girando no sentido horário, temos os 14 discos de estúdio do grupo. Os quatro do centro são fotos do quarteto de maior sucesso (direitas) e uma foto do quinteto. Entre as montagens de fotos estão as capas dos dois discos ao vivo lançados após a saída de Roger Waters.







Outras postagens:

Movimentos especiais... parte 2

Concluímos agora o conjunto de textos que aborda todas as regras necessárias para se praticar xadrez corretamente como qualquer outra atividade de lazer.

O segundo e último movimento especial é o en passant, simbolizado também por e.p., termo de francês para "de passagem".

O en passant é uma jogada especial exclusiva dos peões quando capturam outros peões. Vamos a ela:

Como já se sabe, o peão, em seu movimento inicial, pode avançar uma ou duas casas. O en passant se caracteriza somente quando o peão passível de captura avança duas casas e, no lance imediatamente subsequente, o adversário captura tal peão como se ele tivesse avançado apenas uma, por isso a expressão "de passagem".

Não entendeu? Veja a figura:


Se os peões brancos localizados em A2, C2 ou F2 deslocarem-se duas casas, indo para A4, C4 e F4 respectivamente, evitando assim uma possível captura, o jogador que controla as peças pretas pode, apenas no lance seguinte ao movimento de peão branco, efetuar a captura nas casas A3, C3 ou F3, como indicado acima.

Caso o jogador de pretas movimente seu peão de C7 para C5, no lance seguinte apenas o jogador de brancas tem o direito de capturar o peão adversário com o peão em D5, deslocando-o para C6 e retirando o peão preto do tabuleiro.

O en passant foi o último movimento do xadrez sobre o qual se chegou a um consenso, o qual se estabeleceu em meados do século XVIII. Desde então, as regras apresentadas se mantém por quase três séculos.

domingo, 1 de abril de 2012

Mais um passo de Léo Moura..

Hoje o Mengão derrotou o Bangu em Macaé por 2 a 1 e o nosso lateral direito completou sua partida de número 382 vestindo o manto sagrado, igualando-se a Ailton, meio campo habilidoso que contribuiu para as conquistas do brasileiro de 1987, copa do brasil de 1990 e carioca de 1991.


Léo Moura agora é, ao lado de Ailton, o vigésimo segundo jogador que mais vezes teve a honra de entrar em campo a favor do Flamengo em partidas oficiais.

Acompanhando...







Outras postagens:

Batfunção

Essa imagem eu não podia ignorar...










Outras postagens:

Estudo das Soluções II

Uma vez que entendemos a definição e as classificações da soluções, podemos estudar melhor a categoria que as separa de acordo com a solubilidade.

Lembrando que solubilidade é a quantidade máxima de soluto que uma determinada massa (100g é o valor mais usado) de solvente é capaz de dissolver, ou seja, de formar com ele uma solução.

Um exemplo bem simples de se observar é a mistura formada por cloreto de ferro II (FeCl2) e água. A solubilidade do sal em água é de 64 gramas para cada 100 gramas de solvente à temperatura de 20 °C.


Note que A e B são soluções insaturadas, C é saturada e D é supersaturada. Determinadas propriedades do sistema, como a coloração, mudam à medida que a concentração do soluto aumenta.

Para facilitar a compreensão, é comum representar a variação da solubilidade máxima, em massa de soluto por massa de solvente, como função da temperatura. Veja o gráfico abaixo:


Observe que, no eixo horizontal temos a temperatura medida em °C e no eixo vertical a proporção soluto/solvente. Sendo que o solvente é, na maioria dos casos vistos no ensino médio, a água.


Analisando especificamente a curva do nitrato de potássio (KNO3) interpretamos certos detalhes da seguinte forma:

¬ a 60 °C, a solubilidade do sal é de 120 gramas para cada 100 gramas de água;
¬ a 30 °₢, a solubilidade é de 40 gramas para cada 100 gramas de água;
¬ todos os pontos da curva que separam as duas regiões marcadas indicam a quantidade máxima de soluto para cada 100 gramas de solvente a cada temperatura na qual a água seja líquida ao nível do mar.

Com isso dito, o mais importante a se perceber de agora em diante é o fato de que, a cada temperatura fornecida, haverá uma específica proporção entre soluto e solvente que marcará a solução saturada da tal temperatura.

A partir daqui, são regras de três que resolvem os problemas. Veja o exemplo abaixo:

Uma substância X apresenta solubilidade de 20g/100g de H2O a 10 °C, determine a composição de uma solução saturada cuja massa é de 3600 gramas a 10 °C.

Resposta:

Se a solução é saturada, ela obedece à proporção indicada no enunciado. Logo temos o seguinte:

20 g de X ------- 100 g de H2O
y              -------  (3600 - y)

y = 600 g de X => é a massa da substância X, o soluto.
(3600 -y) = 3000 g de H2O => é a massa de água, o solvente.

Não podemos esquecer que o sistema, neste caso, é binário, ou seja, constituído de apenas dois componentes. Portanto, o que não é a a massa de soluto, é a massa de solvente.

A seguir falarei sobre a solubilidade dos gases em água.






Outras postagens:
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...