segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Justiça divina.

Neste último domingo uma pessoa adicionou a imagem abaixo ao mural dela e, como contato próximo, eu recebi a atualização.


Sinceramente, eu tenho um considerável repúdio por este tipo de texto. Não pela manifestação em si, que é um direito do cidadão que a publica.


Duas frases que, juntas, fazem parecer que as relações de causa e efeito observadas na natureza são a justiça divina. Uma outra frase popular de conotação semelhante é o "aqui se faz, aqui se paga".

Balela. Muitas pessoas cometem crimes e não são punidas. Outras tantas são punidas numa escala ou proporção inferiores ao desejo de familiares da vítima ou até da própria vítima, quando esta sobrevive.

Mas vamos aos meus motivos para isso ser conversa fiada:

Plantar o que quisermos está associado ao livre arbítrio. Tê-lo não é bondade do "todo poderoso", tê-lo é uma concessão. Usada para aceitarmos eventuais "castigos", ali representados pelo "colhemos o que plantamos".

Não há justiça alguma presente na causa e efeito. Você usa drogas, legais ou ilegais, elas causam efeitos no seu organismo, sejam a curto, médio ou longo prazo. Alguns desses efeitos se manifestam em uma gestação. Assim sendo, uma mulher parir uma criança portadora de deformidades causadas pelo uso incontrolado de entorpecentes durante a gestação não constitui uma relação de justiça.

E vou além, que justiça seria esta para com a criança? A mãe faz a hipotética "merda" e é "punida" com algo que prejudica incomensuravelmente mais um outro ser humano? No caso, seu filho.

Não vejo justiça nisso. Isso é uma trollagem bruta ou não tem deus algum. Simplesmente a velha relação de causa e efeito.

É isso aí, espero que minha exposição seja clara o suficiente.

4 comentários:

  1. Desculpe-me discordar,mas não vejo nada negativo nesse tipo de texto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não há motivo para se desculpar ao discordar da minha opinião. É seu direito e não tenho o hábito de censurar os que discordam de mim em meu blog. Só falta você explicar o porque de discordar. Sem argumentos não como discutir ou debater com você.

      Excluir
  2. Aqui se faz aqui se paga é diferente de colher o que voce plantou.
    Na segunda frase, fica inderteminado quando ira colher, voce pode usar dorgas, ter um bebe nao saudavel e achar que quem foi injustiçada foi a criança, mas um dia seja nessa vida ou após ela, voce ira prestar contas do mal que causou a essa criança. Nesse caso, pode nao ser nessa vida que voce ira colher os frutos. mas colher.. ah isso vai.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu afirmei que são semelhantes, não idênticas.

      Você acredita em outra vida, mas não há evidências de que exista uma outra vida. No caso de você estar errado, não se colhe fruto algum...

      Por fim, a pergunta: e a criança do exemplo, o que plantou? Nada, esta é a resposta. Só colheu. Causa e efeito, nada de divino nisso.

      Excluir

Devido a brincadeiras de mal gosto e comentários trolls, os comentários serão moderados a partir de agora. Agradeço a compreensão.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...