segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Homeopatia II.

Continuando a discussão a respeito de um texto de um pediatra homeopata.

Após perguntas ao leitor, o autor segue com sua defesa da homeopatia.

Um de seus argumento é a "acusação" de efeito placebo da homeopatia. Ou seja, segundo ele, o paciente melhora não pelo efeito do medicamento, mas sim pelo efeito psicológico do atendimento. Adiante ele afirma, e com isso eu concordo, este mesmo tipo de efeito (atendimento) ocorrer em relação ao médico homeopata.

Agora entra o ponto chave dessa questão: é honesto da parte de uma pessoa dessa área colocar no mesmo patamar medicamentos homeopáticos e alopáticos? Os resultados das pesquisas a respeito mostram um grave problema nos homeopáticos, pois eles são água, quase que pura. E o motivo disso é o pior de todos: esse profissionais acreditam em algo ainda não comprovado: a memória da água. Tenso!




Aí estão cinco moléculas de água fazendo aquilo que 'sabem" fazer, interagir umas com as outras. Se você afirma que elas têm memória, prove. Aí depois pode acusar levianamente aqueles que o criticam de preconceituosos.

A seguir uma pérola é lançada:

"Se é assim, o que justificaria o sucesso do tratamento homeopático, comprovado pelo depoimento espontâneo dos pacientes que procuram o homeopata para seu tratamento, se não o medicamento homeopático? O que justificaria procura crescente dos pacientes pela homeopatia, na maior parte das vezes justificado pelo insucesso no tratamento alopático?"

1) Com certeza não é o medicamento homeopático. Pois se fosse, bastaria à pessoa ficar em casa bebendo água destilada e, talvez, rezando, pois o efeito seria o mesmo.

2) O principal é a falta de informação, depois acrescentemos uma doze de desespero.

Moises atribui a seus pacientes a seguinte afirmação: "É uma opção pela coragem de ser você mesmo o agente de sua saúde. É conceber o médico como alguém que te orienta com conhecimento e sabedoria, mas a atitude de cura é de cada um. A homeopatia não é medicina passiva, mas ativa, compartilhada, responsável. Menos agressiva e mais eficaz. É uma medicina preventiva que resulta em adultos saudáveis e conscientes de sua integração com a natureza".



Destaquei palavras em negrito justamente por concordar e muito com parte elas e discordar gravemente de outra parte.

A homeopatia tem sim um caráter preventivo, e só. Me pergunto até se não foi herdado/plagiado da alopatia. É menos agressiva também, como água quase que pura faria mal? Só em caso de alergia à água, que é possível.

Agora, ser eficaz são "outros quinhentos". Se é, prove. Mostre pesquisas comprovando o melhor resultado dos medicamentos homeopáticos em relação aos alopáticos. Antes disso, não passa de fanfarronice afirmando conhecer algo que não pode provar.

Outra frase chamativa: "De forma alguma, exclui-se a validade e a necessidade de outros tipos de tratamentos (nutricionais, físicos, psicológicos e até medicamentosos como a fitoterapia e a alopatia, bem como a acupuntura)."

Tá explicado o sucesso da homeopatia: experimente algo com resultado comprovado e a homeopatia em paralelo. O sucesso do tratamento como um todo é glória da homeopatia. Aí é demais.

Para encerrar, o autor convida "as pessoas que não conhecem a homeopatia a procurar um médico homeopata para consulta ou até mesmo para obter uma informação mais precisa e imparcial".

Eu concordo plenamente com a parte de obter informações. Sobre a imparcialidade fica difícil.

Se acha que estou completamente equivocado, leia isso.






Abraço.

6 comentários:

  1. Sr. Paulo Sutil.

    Como fui citado de forma educada, apesar de não concordar em grande parte com suas colocações, gostaria de saber se tenho aqui mesmo, em seu espaço o direito de resposta.

    Afinal, democraticamente, se esse é um blog que aceita opiniões imparciais como a sua e a de outros leitores, acho válidos os esclarecimentos em qualquer campo.

    Aguardo sua permissão para esclarecer, como médico pediatra formado pela Faculdade de Medicina da USP em 1979 e com título de especialista em Pediatria concedido pela AMB (Associação Médica Brasileira) e em homeopatia pela AMHB (Associação Médica Homeopática Brasileira), alguns pontos de sua explanação que, até por não ser da sua área, carecem de embasamento.

    Atenciosamente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sr. Moises Chencinski

      Tens todo o espaço que desejar. Se achar conveniente, pode publicar em um site de seu interesse e postar como comentário o link de resposta. Uma vez que o meu texto é longo e a sua resposta, provavelmente, também o será. E o espaço para comentários não permite uma formatação adequada.

      No aguardo.

      Excluir
  2. Desculpe-me pela demora, mas devido a algumas atividades profisisonais não pude comentar nada. Não me esqueci, não. Rsrs. Vou ver a melhor forma e nessa semana ou na próxima posto os meus comentários sobre os seus comentários. Obrigado e gostei da frase do voltaire. Justa e digna.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aguardarei ansioso. E faço questão de reforçar, tenho opinião diferente da sua no que diz respeito a este tema, nada tenho contra sua pessoa. Até mesmo porque não o conheço pessoalmente para julgar seu caráter ou sua conduta como cidadão, profissional ou seja lá de que maneira for.

      No aguardo.

      Excluir
  3. Carolina

    muito bem, sutileza...
    Seu argumento é muito bom, mas me impressiona um químico do século XXI falar em água pura... ou "quase" pura... ora, sabemos que o diabo mora exatamente nos detalhes... e talvez a respsota que ainda não temos esteja exatamente entre pura e quase pura. Quantas particulas subatômicas podemos encontrar depois (antes, abaixo ou sei lá qual é a direção) dos elétrons, prótons e neutrôns. Li recentemente que uma teoria física que propõe que o espaço-tempo é emergente de informações! há mais coisas aí!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Carol

      Confesso que gostei da expressão "sabemos que o diabo mora exatamente nos detalhes", mas sabemos também que foram incontáveis as vezes em que se investigou e verificou-se não haver diabo algum escondido entre os detalhes.

      Como praticante do ceticismo, observo que os resultados das formulações homeopáticas não são melhores do que um efeito placebo ou água de torneira somente. Penso que, caso alguém prove de forma contundente a eficácia da homeopatia, ela deve juntar-se à ciência convencional.

      Mas o problema está aí, ela se baseia em princípios absurdos e tentadores ao senso comum, nada mais. Justamente por ser um químico do século XXI é que eu sou contra uma prática descabida do século XVIII.

      Concordo que talvez "há mais coisas aí", mas só aceitarei depois de comprovadas, não antes.

      Abraço

      Excluir

Devido a brincadeiras de mal gosto e comentários trolls, os comentários serão moderados a partir de agora. Agradeço a compreensão.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...