sexta-feira, 28 de outubro de 2011

28 de Outubro, Dia do Flamenguista

“Cada brasileiro, vivo ou morto já foi Flamengo por um instante, por um dia.“, disse Nelson Rodrigues, fanático tricolor desprovido de vaidades clubisticas na hora de analisar futebol.


Hoje, 28 de outubro, é o dia do flamenguista. Hoje, 28 de outubro de 2011, é uma sexta-feira onde o time se prepara para um jogo contra o Grêmio, lá, onde não é favorito e onde pode deixar a briga pelo título brasileiro de vez.


Hoje, como sempre, líder ou fora da briga, a capa dos jornais terá o tal do Flamengo.


Decidindo titulo ou não, lá estarão milhares de torcedores, em outro estado, fazendo com que o tal do Flamengo jogue em casa quando deveria atuar fora.


No outro domingo, onde todos jogam mais uma rodada, lá estará ele, de novo, jogando com 12, burlando o regulamento básico do futebol.


E se o time perder, não muda nada. Vão se revoltar, xingar, protestar e, daqui 3 meses, lá estarão eles fazendo juras de amor ao time num clássico qualquer pelo campeonato estadual, aquele que nem eles aguentam mais vencer.


O time mais inexplicável do planeta terra, sem dúvida.


Não ganhava o principal titulo nacional desde 1992. Lá se foram mais de 17 anos e a torcida diminui? Não, aumentou. Segundo pesquisa, a maior entre as crianças do país.


Quando ninguém dá nada pra eles, chegam e surpreendem a todos. Quando todos esperam muito, ele perde e decepciona sua nação.


Favorito em tudo que disputa, simplesmente pelo citado acima. Ninguém é capaz de saber o que esperar do Flamengo, nunca.


E quando eventualmente não tem um time capaz de ser campeão, a cobrança é como se tivesse. Ou seja, não existem jogadores no Flamengo. Existe o Flamengo e ponto final.


Única torcida do planeta que paga ingresso por 2 espetáculos. Um no campo, como todas elas, e outro que ela mesmo proporciona.


O flamenguista vai ao Maracanã pra curtir o time, o jogo, o clima e a própria torcida. É único.


Talvez uma das raras torcidas do mundo que tenha dezenas de ídolos, mas que não há discussão sobre o maior.


Existe o Zico e o resto. E o “resto” inclui, talvez, os dois melhores laterais que o mundo já viu em cores. Leandro e Junior.


A Nação rubro-negra não tem esse nome a toa. São 35 milhões de torcedores, e vejamos:


A cidade mais populosa do mundo é Tóquio. E tem 34 milhões de pessoas.


A maior do Brasil é são Paulo, com 19.


O Flamengo, sozinho, tem 35. Se cobrasse impostos seria trilhardário.


Não cobra, e vive devendo.


Deve milhões, e isso não faz a menor diferença.


Ao contrário do amor que tanto exaltamos, este não vai embora quando o amado fica pobre. É amor de verdade, o mais puro que existe.


Incondicional, este sim.


Aquele que não analisa, que não raciocina, que não condiciona a nada.


A nação poderia dizer, sem culpa: “Eu te amo, e pronto”.


Não interessa porque, como, quando e nem sob quais condições.


É maior, é inexplicável.


Ser Flamengo é algo que não tem comparação. Eu não nasci assim, e nem ouso dizer se felizmente ou infelizmente.


Flamenguista é aquele sujeito que ama futebol acima do que ele o proporciona. Aquele que não troca amor por resultados, e que não condiciona sua preferencia por um ou outro jogador.


Por aí existe o Santos de Pelé, o São Paulo de Rogério Ceni, o Palmeiras de Ademir.


Lá existe o Zico do Flamengo.


A ordem é sempre inversa. Os valores são sempre diferentes.


Ser flamenguista não torna ninguém melhor do que os outros, nem pior. Diferente, sem dúvida.


Ser maioria é algo que fortalece. É infinito, porque a nação não tem fim, e nem deixará de ser a maior torcida do país nos próximos 200 anos.


Odiar o Flamengo é absolutamente justificavel.


Qualquer um fica irritado em ganhar titulos e mais titulos e ver que a capa do jornal não muda de foto. É sempre a do Flamengo.


Qualquer um se incomoda em saber que titulos e dividas menores não conseguem sobrepor a importancia de um clube que tem sua grandeza baseada em nada atual e concreto.


É grande. Porque? Porque é.


Pode existir algo maior do que o que não se explica?


Entrar num Maracanã lotado e olhar pra aquela torcida é algo que apenas eles sabem o que é, o que significa e o quanto importa.


“Torcida não ganha jogo”, dizem.


“Só se for a sua”, eles dirão.


Hoje é dia do flamenguista.


Você não é Flamenguista?


Que pena.


Texto de Rica Perrone, veja o original.

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Dos desenhos para a realidade

Veja.

Aniversário de 55 anos

Hoje também faz aniversário a maior goleada da história do Marcanã.

Flamengo 12 x 2 São Cristóvão.

Mais detalhes aqui.

Morreu o Luiz Mendes

O comentarista da palavra fácil marcou, desde o final da minha infância e o início da minha adolescência, a minha vida no que diz respeito a futebol. Sujeito sereno e de opiniões imparciais, apesar de se dizer botafoguense e gremista. O cara acompanhou as copas de 1950 a 2010 e teve o desprazer, mas obrigação da profissão, de narrar a derrota para o Uruguai na copa de 1950.

Estou para encontrar alguém que saiba mais de futebol que este sujeito. Aprendi muito do que sei de futebol ao ouví-lo comentar o desempenho do Flamengo pela Rádio Globo ao lado do garotinho José Carlos Araújo.

Fica aqui uma frase dele: 'O tempo é o grande e eterno vencedor na luta contra o homem'.

Para saber mais detalhes, veja aqui.

Para ler suas opiniões a respeito de eventos observados por ele nesses últimos 61 anos, veja aqui.

Valeu seu Luiz, perdi um professor hoje.


Para encerrar, fica a descrição de como surgiu a palavra torcedor:

"Ninguém torce e distorce mais do que os torcedores. Esse nome foi criado pelo Coelho Neto porque os homens levavam para os estádios, especialmente nas Laranjeiras, uma espécie de palheta como chapéu e as moças iam com luvas. Com o calor, elas as tiravam. E no decorrer do jogo os homens torciam suas palhetas e as mulheres suas luvas. E o Coelho Neto aproveitou o 'gancho'."

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Vladimir Herzog

Ontem completou-se 36 anos da morte de Vladimir Herzog, diretor de jornalismo da TV Cultura "convocado" pelo exército para prestar esclarecimentos sobre sua relação com o comunismo em solo brasileiro.

Herzog tornou-se um ícone da luta contra a ditadura militar. Atualmente representada por instituto.


Se hoje podemos falar mal de qualquer político que seja e até mesmo rir da cachaça presidencial, temos de agradecer e muito aos que perderam suas vidas lutando contra a ditadura militar.

Valeu Herzog, alguns de nós ainda não esqueceram.

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

RJ-SP

Mais uma rodada apresentou confronto pertinente ao torneio rio são paulo.  O Flamengo empatou por um a um com o Santos no Vazião.


Com isso o mengão assumiu a liderança tendo um jogo a mais que o Botafogo e cinco jogos a mais que o Vasco.
Aguardemos a sequência.






Outras postagens:

sábado, 22 de outubro de 2011

RJ-SP

Com a derrota do Botafogo para o Santos na Vila Belmiro a chances do Flamengo aumentaram.


Resta ao Botafogo engfrentar Vasco e Fluminense. Ao Flamengo, resta enfrentar Santos (amanhã dia 23/10) e Vasco. Aliás, resta ao Vasco enfrentar quase todos, exceto Corinthians.

A bagunça promete.





Outras postagens:

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Dia 15

No último dia 15 foi o dia do professor.

Como tantos outros "dias" de algo, serve apenas para lembramos que ´tem muita coisa errada por aí e pouco fazemos para mudar o status quo.

Vem aí

Para o dia 25 de outubro um post sobre esse cara:


Quem conhecer avisa, mas não coloca o nome.

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Mais uma do Brasileirão com cara de Rio-São Paulo

Atualizei a tabela com o único confronto entre cariocas e paulistas ocorrido na trigésima rodada:

Palmeiras 1 x 2 Fluminense

Agora a claficação é a seguinte:


Tabela após corrigido erro de posicionamento entre Vasco e Santos presente na última tabela. Com oito equipes em partidas de ida e volta, todos devem jogar 14 vezes. Como teremos clássicos estaduais na 38° e última rodada, já sabemos quando serão as últimas partidas de todos.

Como se pode notar, o Vasco tem a tabela mais ingrata de todas, restando entre suas oito partidas um total de seis contra rivais cariocas e paulistas, ou seja, só enfrentou o Corinthians neste segundo turno. Tem tudo para uma arrancada final e talvez "levantar a taça" deste Rio-São Paulo. Ou amargar "tropeços", quem sabe.

Abraço.










Outras postagens:

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Campeonato Brasileiro?

Resolvi fazer um exercício por pura falta de serviço no momento.


Peguei os resultados dos confrontos entre paulistas e cariocas e montei a tabela que seria a de um torneio Rio-São paulo por pontos corridos em dois turnos, como é o campeonato brasileiro atual, mas com apenas oito clubes. Vejam a tabela do primeiro turno.




Chamam a atenção os desempenhos de Fluminense e São Paulo, o Santos até tem desculpa por conta de Libertadores e convocações para diferentes seleções brasileiras.




Como o campeonato ainda não acabou, ainda há uma discrepância entre a quantidade de partidas realizadas. Mas chama muito a atenção o número de adversários que restam ao Vasco e ao Corinthians. Um e seis, respectivamente.

Depois atualizo com o passar das rodadas e comento mais.










Outras postagens:

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Um dia cai...

Já não basta a Torre italiana, agora tem a inglesa...

Leia.

Judeus

Quando a religião supera a razão e a inteligência, coisas como a seguinte notícia acontecem.

A pergunta que eu faço é a seguinte: até quando teremos de conviver com esse tipo de insanidade motivada por livros escritos após a descoberta do bronze?

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Morreu o Steve Jobs



Confira duas frases dele:

"Não dá para sair perguntando às pessoas qual é a próxima grande coisa que elas querem. Henry Ford disse que, se tivesse questionado seus clientes sobre o que queriam, a resposta seria um cavalo mais rápido."


“Eu acho que [a tecnologia] fez o mundo ficar mais próximo e continuará fazendo isso. Existem desvantagens para tudo e consequências inevitáveis para tudo. A peça mais corrosiva da tecnologia que eu já vi se chama televisão, mas novamente, a televisão, no seu melhor, é magnífica.”
 
Mais frases nesse link.


Foi.

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Tosco.

Leia.

Pelo menos reconhece ser uma porteira.


Mas a verdade é que a música loira burra lhe cabe muito bem. E também é bonita e gostosa, sem dúvida. Huahahuahuahauhau, só isso.

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Gordura!



Gordura!

Capa do Harry Poter

Agora as poterzetes espalhadas pelo mundo já podem sorrir. O material para criar a capa invisível do mala sem alça do Harry já existe.


Mais uma da turma do só faltava essa.

Bom, como é bem explicado no link, ela usa nanotecnologia para criar o efeito miragem. Fora isso, uma outra forma de se obter a invisibilidade seria obter um material transparente e de mesmo índice de refração do ar.

Mandaram muito bem.

Lingerie

A notícia da Gisele de lingerie na propaganda rolou solta, até proibição se comentou em fazer. Mas, convenhamos, qual é o problema?

Sinceramente, o que pode ser pior?

1) Uma mulher usar lingerie dentro de sua própria casa para dar uma má noticía ao companheiro.

2) Uma mulher aparecer de lingerie em toda e qualquer parte, seja na net ou fora dela, exibindo o corpo.

Não vejo coisa alguma errada em nenhuma das duas. Isto é capital erótico. Uns tem, outros não tem.


O que me chama a atenção nesse tipo de propaganda, como em tantas outras do tipo é o seguinte: o que uma porra de uma gisele tem a mais que qualquer outra modelo sem sal como ela para rebolar por passarelas e fotografar de roupas íntimas e ganhar zilhões por isso?

Já ouvi dizer que ninguém desfila como ela. Por quê? Ela voa? Planta bananeira? Solta peido com cheiro de lavanda? É a estupidez mais subjetiva possível.



Aí, olha só essa bosta (bonita e gostosa, sem dúvida), parece um robô, olhando pra casa do capeta. Só pode ser. Dependendo da cidade, a cada esquina, acha-se umas duas em tão boa forma quanto, mais belas até e dispostas a ceder favores sexuais em troca de uma oportunidade de se tornar uma nova Gisele. Se provarem que estou enganado, eu peço desculpas.

Mas o pior ainda está por vir. Este tipo de profissional vive honestamente, diga-se de passagem, às custas da futilidade do mercado que consome seu principal produto de venda: o corpo. Uma pessoa asssim, vendendo seu corpo, o emprestando-o por momentos a uma empresa de lingerie, perfume ou tv por assinatura. A preços astronômicos, isto é o fim? Não. São negócios. Lavou, tá novo.

Enquanto isso, "profissionais" menos respeitadas vendem seus corpos (literalmente) por opção ou por questão de sobrevivência. Ou as meninas de hoje sonham em se prostituir ou virar atriz pornô? Se bem que depois da bruna surfistinha, é até possível.

E me chama muito a atenção nessa sujeira permeando o planeta o fato de todas venderem seus corpos, sejam elas modelos (hipotético grupo das prostitutas de muito luxo), acompanhantes (hipotético grupo das prostitutas de luxo apenas) e as coitadas da periferia que abrem as pernas por qualquer tostão. Ah, tem as atrizes (pornô ou não), localizadas em alguns pontos no meio desse caminho.

Mas, um segmento é extremamente bem valorizado enquanto outro é extremamente denegrido. Ainda bem que, no Brasil, prostituição não é crime, ao contrário dos estados unidos da américa. E não deve ser mesmo. Só não concordo quando uma categoria apenas entre as acima citadas é o judas da turma quando todas vendem seus corpos de uma forma ou de outra.

Sejamos honestos. O esquema é o capitalismo. Se tem dinheiro envolvido, tem preço. Se tem preço, está à venda. Se você acha que não está à venda, 'pague para ver', ou melhor, anuncie no mercado livre ou ebay. E verás se um candidato a comprador não aparece.

Se minha vontade nesta situação prevalecesse, todas as categoras teriam mesmos direitos. Ou pelo menos assim começariam, com direitos iguais, até uma se destacar mais perante as demais e tudo virar bagunça de novo. Huahuahahu.

sábado, 1 de outubro de 2011

: )

Sabe aqueles dias quando vc se encontra muito cansado, tão cansado a ponto de levantar da poltrona para pegar o controle remoto ser um esforço hercúleo. Pois é, hoje é um deles para a minha pessoa. Com um agravante, apesar do cansaço, ainda me falta sono. Me sinto quase um zumbi.


Hoje é um bom dia para deixar o pensamento voar solto, ouvir um rock and roll... mas isso não vale pra mim, pois eu sempre ouço rock and roll, exceção feita para quando ouço Beethoven e cia.

Noite boa para não pensar em como as pessoas em geral são hipócritas, falsas e agem como se o certo fosse errado e vice e versa.

Noite boa para não pensar em como homofílico (oposto de homofóbico) é uma moda ridícula e passageira.

Noite boa para não lembrar que existem Cláudias, Ivetes, Grazis, Giseles, Xuxas, Madonas e tantas outras criaturas fúteis e frutos de um mercado mais fútil ainda e ávido por consumí-las, literalmente.

Noite boa para não pensar que as pessoas dispostas a me criticar por gostar de futebol e dedicar o meu tempo livre para assistir 22 marmanjos (11 deles de vermelho e preto, necessariamente) correndo atrás de uma bola, são as mesmas que vibram diante de uma vitrine com uma bolsa ou um par de óculos. E vibram ainda mais que eu com gols do meu Flamengo.

Noite boa para não pensar que um filho de umas putas (uma só é pouco) eleito pelo povo se diverte com um dinheiro que, em parte, eu suei para conquistar e entregá-lo ao Estado em suas três esferas: municipal, estadual e federal.

Noite boa para não pensar que mulheres bonitas e gostosas de lingerie obtém melhores resultados se comparadas a seus concorrentes, sejam homens ou mulheres feias, mesmo estes se esforçando mais.

Noite boa para não pensar que erroneamente beleza seja fundamental, apesar de concordar que um mínimo de atributos físicos seja absolutamente necessário.

Noite boa para não pensar que barangas são imunes a cold.

Noite boa para não pensar que vivo em um estado falsamente laico dominado em suas esferas jurídica, política e econômica por cristãos crentes de a terra ter seis mil anos de existência e de alguém observá-los a todo instante.

Noite boa para não pensar que dormirei numa cama muito confortável enquanto muitos outros por mim não observados dormirão no chão cobertos por jornal.

Noite boa para não pensar na frase de um aluno dizendo sofrer apenas em compaixão àqueles que ele vê sofrer.

Noite boa para não pensar que um vinte avos é bem diferente de vinte por cento.

Noite boa para não pensar que alguém morreu assassinado nos últimos minutos e seu algoz fez o sinal da cruz antes de abandonar o corpo sem vida da vítima.

Noite boa para não pensar que metade da população carcerária do estado de São Paulo deseja liberdade ao passo que a outra metade deseja libertadores.

Noite boa para não pensar que a escassez de um produto é o que o torna economicamente viável, impossibilitando assim sua aquisição por toda a população para satisfação e bem estar geral.

Noite boa para não pensar que a evolução é uma simples teoria e se encontra coberta de evidências ignoradas por pessoas de inteligência limitada.

Noite boa para não pensar que sou contra as drogas (exceto álcool etílico, por motivos óbvios) e não contra os usuários.

Noite boa para não pensar que ninguém é mais escravo em relação àquele que (falsamente) pensa ser livre.

Noite boa para não pensar que vivo em uma cidade onde músicas repetitivas sobre cotovelo quebrado são a regra e bandas com propostas diferentes não têm espaço.

Noite boa para não pensar que o incentivo ao esporte só chega depois dos resultados.

Noite boa para não pensar que ser honesto é uma falha quando mentir evita vários 'problemas'.

Noite boa para pensar que vivo num mundo excelente, cujos problemas são mínimos não interferem na minha vida e qualidade dela. A bem da verdade, tenho motivos de sobra para dormir bem e ter a certeza de que amanhã será melhor. E, caso amanhã não seja, a semana seguinte, ou o mês, ou o ano... afinal, não há motivos para não ser otimista.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...