quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Mais uma de vegetarianismo.

Veja a figura:


Passeando pelos milhares de comentários que meu blog não recebe encontrei a seguinte pérola a respeito do meu primeiro post sobre vegetarianismo:

"Plantas não tem sistema nervoso, logo, não sentem dor! Minha principal motivação ao vegetarianismo é o sofrimento dos animais. SIMPLES! Quer comer carne coma, você é livre, mas não fale tanta merda!"

Um tal de Júlio Cesar Proença disse isso: "Plantas não tem sistema nervoso, logo, não sentem dor! Minha principal motivação ao vegetarianismo é o sofrimento dos animais. SIMPLES! Quer comer carne coma, você é livre, mas não fale tanta merda!"


É "muito bom" ver uma pessoa expor seu raciocínio de forma clara e coerente. Discutir com alguns vegetarianos parece o mesmo que dialogar com surdos quando estes se encontram de costas para nós.

E o pior é: eu me sinto ofendido quando um cidadão (se é que tal criatura pode ser chamada assim) me acusa de falar tanta merda e não se dá ao trabalho de mostrar qual e o motivo de ser merda. Quando faltam argumentos, as agressões verbais se fazem presentes.

Cada vez mais eu noto uma essência de religião no vegetarianismo. A verdade não é relevante, o que importa é a conduta moral. Já observei isso também na homeopatia.


Então eu pergunto novamente aos "cidadãos" defensores da moral e dos bons costumes alimentares:

Um ser vivo é menos digno de viver por não sentir dor, enquanto outros supostamente sentem?
Um ser vivo é mais digno de virar comida só por não correr quando desejamos capturá-lo?

Se a sua resposta é sim para as duas perguntas acima, então as notícias não são boas, você é um vegetariano! Sinto muito, só me resta rezar pela sua alma... Opa! Espera aí... Eu não rezo! E ainda não existem evidências que corroborem a falácia de que almas existem. Só lamento então.

Bom, agora eu respondo à figura abaixo.


Picanha, baby beef, picanha suína, linguiça... eu até salivo só de digitar... hauhauahua

Ah, se eu tivesse de matar, teria um conjunto de facas bem afiadas.













Outras postagens: 

14 comentários:

  1. FALOU POUCO, MAS FALOU BEM, PIOR QUE FIQUEI AQUI MORRENDO DE VONTADE DE COMER UMA MAMINHA ASSADA NA BRASA COM UMA BOA CERVEJA BEM GELADA !

    ResponderExcluir
  2. Um ser vivo é menos digno de viver por não sentir dor, enquanto outros supostamente sentem?
    É Digno sim senhor.E pra que optar pela dor?
    Um ser vivo é mais digno de virar comida só por não correr quando desejamos capturá-lo?
    A resposta já esta em sua pergunta anterior.Mas volto a perguntar.Pra que optar pela dor?Temos opções irmão.Cada um opta pelo que te convém.Em nossa composição tem carne certo?Por que os seres humanos não comem carne humana?sente dor assim como outro animal.Há um nojinho só porque é da mesma espécie?Não compreendo.Mas são habitos que já foram impostos,antes de você e eu nascer...Vai do ser procurar alternativas,ou simplesmente ser mais um sanguinário no mundo.

    ResponderExcluir
  3. Cada vez mais eu noto uma essência de religião no vegetarianismo???? vc nota uma essência de realigião??? Sinto mto + sou ateu.. by:V.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "vc nota uma essência de realigião??? Sinto mto + sou ateu."

      Vc é ateu? E eu com isso? Se atenha ao tema ou vá passear.

      Excluir
  4. E as plantas, não é errado comê-las?
    Plantas não sentem dor pelo simples fato de não terem sistema nervoso nem nervos, é questão científica mesmo. Mas mesmo considerando que sim, eles sentem dor, quantos milhões de vegetais você mata ao comer um boi que cresceu comendo vegetais? Um boi leva, em média, 4 anos e meio para ser morto para alimentação, neste período ele consome muitos vegetais, concorda?

    "A produção de grãos de uma fazenda com 100 hectares pode alimentar 1.100 pessoas comendo soja, ou 2.500 com milho. Se a produção dessa área for usada para ração bovina ou pasto, a carne produzida alimentaria o equivalente a oito pessoas."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Falou, falou e não concluiu. Isso ainda não muda o fato de que o ser humano é onívoro e também deve se alimentar de carne. Antes de reclamar de área ocupada com plantação de capim e semelhantes, os vegetarianos devem se ocupar de eliminar o desperdício mundial de comida. Seja ela de qualquer natureza ou origem. Eliminem esse problema e depois conversamos.

      Excluir
  5. Paulo procure se informar mais...
    O ser humano não precisa se alimentar de carne...
    E antes que venha com o blablá de vitaminas só de origem animal cito o exemplo do Iodo no nosso sal, obtido de forma artificial, assim como essas substâncias como a B12 pode ser encontrada...

    Você versa sobre um assunto que não tem domínio qualquer pessoa com um minímo de boa vontade é capaz de desestruturar seus argumentos, que tem por égide humor negro, sarcasmo e falta de empatia com a dor de outro ser vivo sem nenhum embasamento a não ser o preconceito e a gula...

    não é o meu caso... não perderei meu tempo...

    Mas deixar de comer carne é uma atitude de responsabilidade com o meio ambiente, com seres vivos senciente não-humanos e com seu organismo!

    Só um adendo, o nosso organismo é 100% herbívoro...


    "Deveríamos ser capazes de recusar-nos a viver se o preço da vida é a tortura de seres sensíveis. Sinto que o progresso espiritual requer, em uma determinada etapa, que paremos de matar nossos companheiros, os animais, para a satisfação de nossos desejos corpóreos."

    Mahatma Gandhi

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Senhorita Déborah, a resposta ao seu comentário se encontra em: http://paulosutil.blogspot.com/2012/02/perolas-de-vegetarianos.html

      Excluir
  6. Acho que há uma falta generalizada de boa vontade em debater o tema da alimentação de uma forma mais elaborada e abrangente, mais madura, a partir uma reflexão racional de cada debatedor. A maior parte dos discursos vêm inflamada pelos seus interesses e crenças (ou descrenças) pessoais, e redunda quase sempre no desejo escondido de impor sua forma de pensar ao outro - sinto muito pessoal, vocês dizem que não, Paulo e todos os outros, mas vocês desejam insanamente impor suas formas de pensar, sim.
    A verdade é que a existência é um ciclo. Existe-se e cede-se para dar existência ao seguinte, vivo ou não. Quando eu morrer, insetos, fungos e bactérias irão devorar minha carne, isso se já não o estão fazendo agora. E eventualmente uma parte de mim ira virar algum mineral que uma planta talvez irá usar depois.
    Não sou vegetariano, mas não ficaria me culpando (profundamente) ou a humanidade pela nossa inabilidade de encontrar uma alternativa à forma vigente, claramente perversa, de explorar a existência dos animais, vegetais e de toda a estrutura terráquea para garantir sua própria existência. É assim que o mundo acontece hoje. E as coisas mudam. A passos mais curtos ou mais largos, repetindo-se a história ou não, promovendo-se mais justiça, igualdade e bonança entre todos (os seres. Sim! Os seres) ou não.
    Confesso (acho que já ficou claro) que sinto desconforto com a escravidão a que submetemos os outros seres. Mas qual a solução pra isso? Alguém me convença, por favor!!! NÃO SERÁ DEIXANDO DE SE ALIMENTAR DOS ANIMAIS QUE HAVERÁ PACIFICAÇÃO PARA SUA EXISTÊNCIA PLENA!!! O homem caça(va), o animal caça, e a planta metaboliza o CO2 que veio de alguma fração do meu corpo que acabou de morrer...
    E a minha paz vem da consciência de que apenas faço parte do funcionamento do universo, e o animal e o vegetal e o mineral também. Acredito que não sou distinto dos seres e nem eles de mim, somos o universo. Alimentar-se, é um dos eventos essenciais para que se dê corda no funcionamento do cosmo como ele é. No mais profundo do meu entendimento, nem sequer interagir com outros seres interagimos, pois na verdade somos a mesma coisa. Não se consegue exatamente assinalar onde termina um para começar o outro, somos apenas um.
    O que falta? O ser humano respeitar o ato de se alimentar, dentre outros tipos de respeito que o ser humano não exercita. Falta-nos capacidade de respeitar a grandiosidade da existência, nosso papel e o dos outros seres nela. Na alimentação, respeitar o ato de transformação de outro ser, para que existamos.

    Godô

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Godô,

      mais uma vez encontro um texto coerente seu apontando algo que não faço: impor minha vontade sobre os demais. As pessoas interpretam de muitas maneiras as palavras. Já fui acusado de discriminar os vegetarianos. Não concordo com isso.
      Querem comer folhinhas pelo resto da vida? Ótimo, façam, azar ou sorte, problema deles. Mas não venham fabricar falsas evidências morais, éticas, emocionais e até científicas para comprovar esta como a melhor opção.
      O que faço então: desmascarar com humor negro essa conversa fiada... apenas isso.
      Mas fique claro, é direito de qualquer um ser vegetariano.

      Abração

      Excluir
  7. Sou vegetariana e ainda assim não critico ninguém que come carne, mesmo porque sei que muitas das condutas são pautadas em condicionamentos sociais e culturais que temos, dessa forma não posso querer que alguém seja igual a mim por causa da minha decisão. Não concordo quando vegetarianos criticam a quem come carne, porque essas discussões acabariam sendo amplas, mas no final de tudo o que vai importar é a decisão que cada um toma. Por isso também me incomoda quando as pessoas querem me convencer a comer carne, cada um faz aquilo que acha melhor para si, ninguém é obrigado a ser vegetariano(a) porque eu sou, tão pouco eu comer carne porque as pessoas comem. E me incomoda o texto no sentido das perguntas sobre as plantas, elas aparentemente refletem uma conscientização sobre o valor das plantas embora as mesmas não possuam sistema nervoso central e embora a natureza não de aos seus elementos algo que não seja funcional, mas o texto é terminando dizendo que se tivesse facas mataria algum animal sem problema algum. Muitas pessoas me perguntam sobre as plantas: "E as plantinhas? Tadinha delas". Eu pergunto: Você come os animais e me pergunta sobre as plantas? Não tenho nada contra sua opção, porém não concordo com perguntar sobre algo sem realmente se importar com isso. Além disso, se onívoros não querem ser desrespeitados em suas escolhas, também deveriam respeitar as opções de vegetarianos por escolherem não comer carne pelo fato de animais serem seres sencientes. E não são apenas vegetarianos que devem se importar com os problemas do mundo, todos deveriam. A conversa afiada pode vir de ambos os lados, não apenas de vegetarianos, e em ambos os lados existem diversas exceções. Noto também, no dia a dia que a essencia da religião esta sim em alguns vegetarianos, mas noto muito mais das conversas que tenho com as pessoas a essencia da religião em relação ao consumo próprio consumo de carne. Logo, existem discussões que nem deveriam existir, tudo é opção devemos apenas respeitar a de cada um. Mas não notei isso em relação a seu post Paulo embora você tenha dito que é direito de cada um ser vegetariano, percebi que por causa de um ou alguns vegetarianos que te trataram de maneira grosseira, você ofendeu a todos. Dominique Dennise Assumpção.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Dominique

      "Não tenho nada contra sua opção, porém não concordo com perguntar sobre algo sem realmente se importar com isso."

      Veja da seguinte forma, o raciocínio é simples. Você tem empatia pelos animais, logo não se alimenta deles. Entendo isso. Aí "você" me pergunta pelos animais, tadinhos. A mesma lógica se aplica ao seu comportamento. Você se alimenta de plantas. Não tem a mesma empatia por elas? Sistema nervoso é a sua desculpa para um ser vivo ser menos digno de viver? Eu não aceito esta resposta como desculpa...

      "E não são apenas vegetarianos que devem se importar com os problemas do mundo"

      E onde eu disse para comermos tudo até não restar mais nada...?

      "Mas não notei isso (respeito) em relação a seu post Paulo embora você tenha dito que é direito de cada um ser vegetariano"

      Acontece e muito de as pessoas confundirem crítica com respeito. Acham que respeitar é não criticar ou não falar sobre o tema, parecido mesmo com as religiões convencionais. Lamento, mas aqui eu critico e cutuco na ferida sem dó...

      De qualquer maneira, agradeço por sua participação. Não me agrediu verbalmente e nem me desejou um bom infarto. Prática comum entre os comentários não aprovados. Lembre que discordar não é o problema. Conversar com quem pensa diferente nos ajuda a entender o outro lado. Levar pro lado pessoal uma crítica não pessoal não ajuda em um debate...

      Excluir

Devido a brincadeiras de mal gosto e comentários trolls, os comentários serão moderados a partir de agora. Agradeço a compreensão.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...