quinta-feira, 3 de março de 2011

Quando o carnaval chegar

Quem me vê sempre parado e distante, garante que eu não sei sambar (e não sei mesmo), pois estou me guardando pra quando o meu carnaval chegar. Foi-se a época em que carnaval era comemorado com marchinhas e sambas-enredo bem bolados. 

Hoje carnaval é sinônimo de "axé-funk-sertanejo-regados-a-pagode", ou seja, se o seu QI é semelhante ao de uma ameba em processo de fagocitose ou se vc consegue suportar por prolongados períodos essa poluição sonora, divirta-se.

Eu já aturei dessa bagaça por tempo demais na minha vida, agora quero distância. Quero ouvir meu rockzinho antigo que não tem perigo de machucar ninguém, o único perigo, aliás, é deixar a pessoa mais culta.

Como eu sei que esta maré da estupidez coletiva (evidenciada pela necessidade absurda que as pessoas têm de dançar a mesma coreografia que um deficiente mental com disfunção erétil gastou dois ou mais meses para desenvolver com o máximo objetivo de estourar nas "paradas de sucesso" por no máximo 12 semanas) não cessará tão cedo, vou me guardar, para o dia que o meu carnaval chegar.

Ou, como diz a letra de uma banda que lembra uma das minhas tias, Velhas Virgens:

"E você que só sabe sambar (pagodear, axezar, sertanejar, etc), o que é que fará quando o rock voltar?"

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Devido a brincadeiras de mal gosto e comentários trolls, os comentários serão moderados a partir de agora. Agradeço a compreensão.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...